nov 29

Não é nem um nem dois leitores que me perguntam se é possível viver de Bolsa de Valores. Dezenas talvez.

Sinceramente, creio que até existam pessoas que vivam do que investem no mercado mobiliário, particularmente na bolsa, porém talvez isso não seja pra você e talvez nem seja a coisa mais rentável a fazer.

Porém, é inegável que existe essa idéia do sujeito que acompanha a Bovespa o dia inteiro, depois acompanha as bolsas orientais e do mundo inteiro. E que vive disso, trabalhando em casa.

Parece algo interessante, mas – repito – não é pra todo mundo. Por alguns motivos:

  • você pode achar chato: provavelmente você tem uma atividade profissional que gosta de desempenhar. Se não tem, procure uma: a vida é curta
  • talvez os ganhos não sejam tão bons quanto você imagina
  • as coisas nem sempre são o que parecem

Encontrei no livro Investimentos Inteligentes, de Gustavo Cerbasi, uma explicação com maior autoridade para isso:

Enquanto a maioria das pessoas trata os investimentos como uma preocupação secundária ou uma via não convencional para construir riqueza, há quem viva exclusivamente da atividade de investidor, ganhando seu pão ao dedicar várias horas por dia a essa atividade.

Contrariamente do que diz o senso comum, esse investidor profissional, chamado também de operador financeiro ou simplesmente trader, não é necessariamente uma pessoa rica que vive de pequenas ousadias sobre sua fortuna. (…) Não é exagero definir o trader como o trabalhador braçal do mundo dos investimentos.

(…)

É inspirador conversar com um trader, pois ele sempre tem uma ótima experiência pessoal para compartilhar com os amigos, geralmente uma história de ganhos fantásticos que obteve com pouco dinheiro. Seu discurso é como o do pescador: fala por horas do peixão que uma vez pescou (não diz se contou ou não com a ajuda da sorte), mas sequer comenta que vive diariamente de pequenos lambaris. Isso tende a inspirar jovens investidores em busca de replicar a operação de ganho fantástico, que na maioria das vezes vai resultar em perda.

As características desses caras que vivem da bolsa, os traders, portanto:

  • operações de curto prazo, frequentemente comprando e vendendo um ativo no mesmo dia
  • conversa inspiradora: fala dos grandes peixes e não dos pequenos. Muito menos das perdas
  • têm muita experiência de mercado: seus erros e acertos são mais abundantes do que daqueles que precisam esperar longos prazos para ver o que suas operações deram

Por isso, cada um deve saber qual é a sua praia.

Postado por Lilian Ribeiro
Tags: , , , , , , , ,


Escreva um Comentário

Current day month ye@r *