jan 19

Após a crise financeira nos Estados Unidos ter se tornado muito maior que o imaginado e se espalhado principalmente na Europa, as principais corretoras brasileiras aumentaram suas apostas em ações conservadoras. As carteiras de ações indicadas para outubro foram direcionadas principalmente para empresas que apresentam boa geração de caixa, pagam altos dividendos e têm sua receita voltada para o mercado interno.

Assim, as elétricas se transformaram em xodó dos analistas e conquistaram espaço em quase todas as carteiras sugeridas para outubro (veja na tabela abaixo). Conhecidas como boas pagadoras de dividendos, as companhias do setor contam com uma base segura de clientes e devem ter seus lucros impulsionados pela alta da inflação, já que suas tarifas são reajustadas pelos índices de preços.

Em contrapartida, as ações de empresas que são muito dependentes de empréstimos para crescer entraram na lista negra das corretoras. Com a redução no volume de crédito disponível no mercado, as companhias terão mais dificuldade para financiar seus projetos, além de ter de pagar mais caro pelo dinheiro. Tenda e Company, que foram vendidas às pressas para Gafisa e Brascan, respectivamente, mostraram o quão delicada é a situação. Os papéis do setor foram banidos das recomendações das corretoras.

Mas não são apenas as construtoras que preocupam. Há menos de uma semana, a Sadia surpreendeu o mercado ao anunciar perdas de 760 milhões de reais – valor equivalente a um ano de trabalho – no mercado futuro de câmbio. O prejuízo fez com que HSBC e Intra retirassem as ações da empresa de suas carteiras sugeridas. A Aracruz também informou que com o câmbio, o que levou investidores e analistas a se questionarem quantas outras empresas podem estar na mesma situação. “Contatamos todas as empresas do nosso universo de cobertura. Todas nos informaram que realizam operações de hedge (proteção) que visam apenas suas operações. A conferir. Fique de olho também nos guidances (metas estabelecidas pelas próprias empresas). Lembro que, no atual ambiente financeiro, redução de crescimento e investimento não devem ser notícia ruim”, diz a analista Lika Takahashi, da Fator, em seu relatório.

Ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos, no Brasil, o setor financeiro vai bem, mas sofre os refletos da crise. As instituições não operam com hipotecas de alto risco (subprime) e, segundo analistas, apresentam sólidos fundamentos. No entanto, o descontrole no exterior deve continuar inibindo a procura pelos papéis do setor. Além disso, o aumento nos custos de captação devem representar uma redução nas margens de lucros. No longo prazo, entretanto, os analistas apostam no potencial do setor em oferecer altos retornos aos investidores. “Apesar da nossa visão cautelosa para o setor no curto prazo, acreditamos que  Bradesco e Redecard devem ser capazes de superar (o mau momento) devido aos seus sólidos fundamentos”, destaca o Unibanco.

Outras dez instituições também incluem as ações de Bradesco e Redecard entre as melhores do setor e, com exceção da XP Investimentos, todas as demais recomendam aos investidores aplicar em ao menos uma empresa do setor.

Já o segmento de siderurgia diverge os analistas. Enquanto o HSBC, estima que as empresas serão beneficiadas no curto prazo pela forte demanda por aço no mercado nacional, a Fator classifica o setor como um dos mais vulneráveis à crise, devido às poucas chances de recuperação dos preços das commodities nos próximos meses. Neste mês, cinco corretoras retiraram ações das empresas do setor de seu portfólio, sendo que as da CSN foram excluídas de quatro das 14 carteiras.

Mesmo diante de tantas dúvidas quanto ao futuro do mercado acionário, os especialistas ainda recomendam os investimentos em ações para quem tem objetivos de longo prazo. “Se você é um investidor que não está preocupado em acertar o momento do mercado, mas sim o valor do negócio, este pode ser um bom momento de ir às compras de bons ativos. Isso não quer dizer que as bolsas não cairão mais, pois esta crise tem se provado mais devastadora que o imaginado e a volatilidade continuará elevada, mas que o retorno de seu investimento poderá ser alto no longo prazo”, diz Lika.

Veja abaixo as ações recomendadas por 14 corretoras.

Ativa
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$) (1) Potencial de alta (%)
Weg WEGE3 Não informado 14,19
Lojas Americanas LAME4 Não informado 8,35
Transmissão Paulista TRPL4 Não informado 49,79
AES Tietê GETI4 Não informado 15,40
Bradesco BBDC4 Não informado 30,94
Banco do Brasil BBAS3 Não informado 22,75
Bradespar BRAP4 Não informado 26,70
Vale do Rio Doce VALE5 Não informado 32,71
Petrobras PETR4 Não informado 35,10
Usiminas USIM5 Não informado 40,51
Tegma TGMA3 Não informado 10,18
Alterações
Entra: AES Tietê
Saem: CSN, Cesp
Alpes
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Petrobras PETR4 46,80 35,10 33,33
Bradespar BRAP4 42,50 26,70 59,18
Bradesco BBDC4 38,00 30,94 22,82
Itaúsa ITSA4 12,00 9,52 26,05
Usiminas USIM5 75,00 40,51 85,14
Alterações
Não houve
Corretora Geral
Empresa Ação Preço-alvo (R$) (2) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Petrobras PETR4 60,00 35,10 70,94
Vale do Rio Doce VALE5 58,00 32,71 77,32
Bradesco BBDC4 54,00 30,94 74,53
Gerdau Metalúrgica GOAU4 70,00 29,70 135,69
CPFL Energia CPFE3 48,00 35,50 35,21
Tractebel TBLE3 30,00 20,70 44,93
Usiminas USIM5 90,00 40,51 122,17
Souza Cruz CRUZ3 61,00 45,49 34,10
Itaúsa ITSA4 15,57 9,52 63,55
Alterações
Entra: Tractebel
Saem: VCP, Lojas Renner
Fator
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Petrobras PETR4 50,00 35,10 42,45
Vale do Rio Doce VALE5 Em revisão 32,71
Eletrobrás ELET3 40,00 28,30 41,34
Telesp TLPP4 73,16 44,69 63,71
Redecard RDCD3 35,47 24,88 42,56
Ambev AMBV4 192,91 105,00 83,72
Itaúsa ITSA4 Em revisão 9,52
B2W BTOW3 122,62 45,94 166,91
ALL ALLL11 33,00 13,00 153,85
Weg WEGW3 25,78 14,19 81,68
Net NETC4 26,40 16,23 62,66
Ultrapar UGPA4 90,00 50,49 78,25
Telemar TNLP3 84,97 39,00 117,87
Banco do Brasil BBAS3 Em revisão 22,75
Alterações
Entram: Redecard, Eletrobrás (ELET3)
Saem: CCR Rodovias, Eletrobrás (ELET6)
         
HSBC
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
ALL ALLL11 Não informado 13,00
Vale do Rio Doce VALE5 Não informado 32,71
Energias do Brasil ENBR3 Não informado 23,82
AES Tietê GETI4 Não informado 15,40
Usiminas USIM5 Não informado 40,51
Petrobras PETR4 Não informado 35,10
Perdigão PRGA3 Não informado 36,40
Itaú ITAU4 Não informado 31,90
Alterações
Entram: Perdigão, AES Tietê
Sai: Sadia
Intra
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Souza Cruz CRUZ3 Não informado 45,49
Itaúsa ITSA4 Não informado 9,52
Petrobras PETR4 Não informado 35,10
Vale do Rio Doce VALE5 Não informado 32,71
Eletrobrás ELET6 Não informado 24,05
Bradesco BBDC4 Não informado 30,94
Gerdau GGBR4 Não informado 21,21
Natura NATU3 Não informado 18,50
Confab CNFB4 Não informado 5,29
Nossa Caixa BNCA3 Não informado 39,90
Randon RAPT4 Não informado 10,76
Transmissão Paulista TRPL4 Não informado 49,79
Alterações
Entram: Eletrobrás, Natura, Nossa Caixa
Saem: Sadia, CSN, Copel
Link
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Ambev AMBV4 175,00 105,00 66,67
AES Tietê GETI4 21,25 15,40 37,99
Bradesco BBDC4 47,00 30,94 51,91
CCR Rodovias CCRO3 42,00 25,00 68,00
Cemig CMIG4 50,00 37,60 32,98
CPFL Energia CPFE3 46,00 35,50 29,58
Itaúsa ITSA4 16,50 9,52 73,32
Transmissão Paulista TRPL4 61,00 49,79 22,51
Vale do Rio Doce VALE5 74,00 32,71 126,23
Alterações
Entram: Ambev, Bradesco, Transmissão Paulista
Saem: ALL, B2W, CSN, M. Dias Branco, Lopes, Aracruz, Totvs
Planner
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Bradesco BBDC4 55,00 30,94 77,76
Vale do Rio Doce VALE5 68,27 32,71 108,71
CSN CSNA3 75,50 40,75 85,28
Cemig CMIG4 45,48 37,60 20,96
Petrobras PETR4 48,60 35,10 38,46
Brasil Telecom BRTO4 24,77 15,74 57,37
CPFL Energia CPFE3 51,00 35,50 43,66
Redecard RDCD3 45,50 24,88 82,88
Transmissão Paulista TRPL4 54,00 49,79 8,46
Perdigão PRGA3 65,53 36,40 80,03
Alterações
Entra: Cemig
Sai: Gerdau
Prosper
Empresa Ação Preço-alvo (R$) (3) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Itaú ITAU4 52,00 31,90 63,01
Petrobras PETR4 61,00 35,10 73,79
Gerdau GGBR3 36,50 18,15 101,10
Confab CNFB4 8,60 5,29 62,57
Cesp CESP6 42,00 16,50 154,55
Alterações
Não houve
         
SLW
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Vale do Rio Doce VALE5 75,70 32,71 131,43
Bradesco BBDC4 54,00 30,94 74,53
Banco do Brasil BBAS3 31,00 22,75 36,26
Eletrobrás ELET3 47,56 28,30 68,06
Cemig CMIG4 48,00 37,60 27,66
Pão de Açúcar PCAR4 40,00 33,00 21,21
Lojas Renner LREN3 Em revisão 23,50
Perdigão PRGA3 59,00 36,40 62,09
Usiminas USIM5 102,74 40,51 153,62
Gerdau GGBR4 59,00 21,21 178,17
Petrobras PETR4 60,00 35,10 70,94
Confab CNFB4 7,80 5,29 47,45
Randon RAPT4 23,00 10,76 113,75
Coelce COCE5 32,00 18,50 72,97
Copasa CSMG3 35,00 20,00 75,00
Alterações
Entram: Banco do Brasil, Perdigão
Saem: CSN, Unibanco, Embraer, Brasil Telecom, Embraer, Localiza
Souza Barros
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Randon RAPT4 23,50 10,76 118,40
Cremer CREM3 21,20 10,20 107,84
Transmissão Paulista TRPL4 60,00 49,79 20,51
GVT GVTT3 48,50 28,79 68,46
Petrobras PETR4 54,50 35,10 55,27
Vale do Rio Doce VALE5 67,90 32,71 107,58
CCR Rodovias CCRO3 39,70 25,00 58,80
Gerdau GGBR4 45,90 21,21 116,41
Bradesco BBDC4 54,00 30,94 74,53
Alterações
Entram: Transmissão Paulista
Saem: BR Malls, Drogasil
         
         
Spinelli
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Bradesco BBDC4 50,00 30,94 61,60
Banco do Brasil BBAS3 40,00 22,75 75,82
Itaú ITAU4 47,00 31,90 47,34
Eletrobrás ELET3 44,00 28,30 55,48
VCP VCPA4 45,00 28,80 56,25
Petrobras PETR4 60,00 35,10 70,94
Vale do Rio Doce VALE5 60,00 32,71 83,43
CSN CSNA3 80,00 40,75 96,32
Usiminas USIM5 70,00 40,51 72,80
Gerdau Metalúrgica GOAU4 55,00 29,70 85,19
Alterações
Não houve
 
Unibanco
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Bradesco BBDC4 48,39 30,94 56,40
Redecard RDCD3 42,70 24,88 71,62
Marfirg (5) MRFG3 30,00 17,59 70,55
Pão de Açúcar (5) PCAR4 54,50 33,00 65,15
Ultrapar UGPA4 92,00 50,49 82,21
Petrobras PETR4 52,50 35,10 49,57
CSN CSNA3 89,00 40,75 118,40
Bradespar BRAP4 Em revisão 26,70
Suzano Papel SUZB5 68,00 16,25 318,46
Net (5) NETC4 38,00 16,23 134,13
Copel CPLE6 44,00 26,40 66,67
Tractebel TBLE3 34,10 20,70 64,73
Weg (5) WEGW3 26,50 14,19 86,75
Estácio (5) ESTC3 31,10 14,30 117,48
Alterações
Entram: Redecard, Tractebel, Weg, Suzano, Estácio
Saem: Eletropaulo, VCP, Confab, PDG Realt, Duratex, Dasa
XP Investimentos
Empresa Ação Preço-alvo (R$) (4) Preço atual (R$)(1) Potencial de alta (%)
Gerdau Metalúrgica GOAU4 53,00 29,70 78,45
Vale do Rio Doce VALE5 68,00 32,71 107,89
Ultrapar UGPA4 80,00 50,49 58,45
Randon RAPT4 20,00 10,76 85,87
Lojas Renner LREN3 40,60 23,50 72,77
Alterações
Não houve
(1) Cotação de fechamento de 30 de setembro
(2) Preço-alvo para 12 meses
(3) Preço-alvo para junho de 2009
(4) Preço-alvo para julho de 2009
(5) Preço-alvo para dezembro de 2009
Fontes: corretoras

Postado por Lilian Ribeiro
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,


Escreva um Comentário

Current day month ye@r *